quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Que amor é esse?



Me deparei com uma canção da Luma Eupidio "Que amor é esse", perdi as contas de quantas e quantas vezes a escultei hoje, rs. Ela me fez pensar em muitas coisas, sobre como temos vivido em Cristo. 


"Que amor é esse? Graça incalculável não tem interesse, não quer nada em troca, simplesmente é boa, perfeita e agradável para mim"... Luma Eupidio


“Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o Seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou Seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele”, (João 3:16-17).

Você já parou para pensar como é grande o amor de Deus? Deus criou todas as coisas por amor a nós. Ele nos ama tanto que não quis nos deixar sozinhos e enviou seu Filho para nos salvar. Quer maior declaração de amor feita à humanidade?


Que amor é esse? A pergunta que não quer calar dentro de mim é "como temos correspondido a este amor"? Meu coração chora ao perceber como a igreja nestes últimos tempos não tem correspondido a este amor... Como deixamos de honrar o Senhor  e amá-lo por qualquer situação, circunstância ou até mesmo por pessoas. É como se tudo aquilo que o Senhor fez e faz seja inútil ou insignificante. Precisamos voltar Jesus para o centro do evangelho urgentemente, precisamos corresponder a tudo quanto Ele faz, não existe evangelho sem Jesus, precisamos entender que tudo quanto fazemos é simplesmente para Ele, não existe outro motivo. Muitas e muitas vezes chegando diante de Deus e queremos dizer tantas coisas, pedir tantas coisas, pouco nos preocupamos para parar e simplesmente ouvir Ele dizer, o Senhor está desejando se relacionar conosco, se revelar a nós.

Algo que me preocupa e me entristece demais é perceber que as pessoas estão tratando a presença, a glória e a santidade de Deus como algo comum! "O significado básico de santo é “separado do comum”. Assim sendo, a santidade de Deus é a sua infinita “separação” de tudo o que é comum. É isso que o faz ser o único infinito. A singularidade de Deus como sendo o único Deus – Sua “Divindade” – o faz infinitamente valioso e santo". John Piper.

"Nosso Deus é um Deus pessoal. E isso faz toda a diferença. Em todas as outras religiões encontramos diversos tipos de deuses: fortes, fracos, irados, mas nenhum é um pessoal. Nenhum falou face a face com suas criaturas, nenhum lhes concedeu um livro contendo suas próprias palavras. É por essa razão que nosso Deus não está buscando adoração e sim adoradores". Samuel Fratelli

Gostaria de finalizar deixando essa reflexão como um desafio para você, decida corresponder ao amor dEle. Eu creio que quando entendermos melhor esta realidade , caminharmos mais alinhados em comunhão, experimentaremos níveis muito mais profundos e visíveis da GLÓRIA DE DEUS.

"Tu me dá a paz que excede todo entendimento. E quando planejo me mostras, que é bem melhor o Seu plano. Com misericórdia me cobres derramando graça em mim. Eu desconheço um outro amor assim"... Luma Eupidio

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Diego Herreira
Maira Gall